segunda seccao - icone - escuteiros de setubal

Segunda

secção

O que é a IIª Secção? O que são os exploradores e moços?

O Explorador é um homem bom que aprendeu enquanto jovem a conhecer e a amar a natureza, a ser auto-disciplinado e auto-suficiente, a adaptar-se ao meio ambiente em que vive, e a respeitar e a viver com as outras pessoas. É assim que nos é apresentado por BP, para demonstrar que os nossos exploradores não são adultos em miniatura, mas sim seres em construção, e que a adolescência é um momento importante na formação da personalidade do futuro Homem.

É em ambiente de Aventura que os exploradores são colocados perante desafios que, graças a um esforço pessoal e comunitário, vão superando, adquirindo cada vez mais novas competências e novas experiências.

É com base neste imaginário de aventura e sentido de cooperação, que se vai desenvolver toda a atividade dos exploradores e moços, proporcionando novas vivências e novas ações, a descoberta de novos mundos e o desenvolvimento de capacidades para a auto-suficiência.

São Tiago - Patrono da II Secção - Escuteiros de Setubal

São Tiago Maior, também conhecido por São Tiago de Compostela (martirizado em 44 da nossa Era), foi um dos doze apóstolos de Jesus Cristo. E chama-se São Tiago Maior para o diferenciar de outros santos de nome Tiago, como o apóstolo São Tiago Menor. 
Segunda a tradição, em Santiago de Compostela encontra-se o túmulo de São Tiago Maior, filho de Zebedeu.
“Santiago” é a expressão atual em língua castelhana (Espanha). Antigamente dizia-se: “San’ Iago”, “San Jacob” ou “Sanctus Iacobus”.
“Iago” é a derivação do nome grego com o qual o nomeavam no Novo Testamento: “Iacobos”. Por sua vez, este nome grego deriva do hebraico “Iacob”, como o patriarca Jacob.
Em inglês diz-se St. James. 

Mística da IIª SECÇÃO

A descoberta da Terra Prometida: o Ex­plorador/Moço reconhece Deus na sua vida e aceita a Aliança que este lhe pro­põe, pondo-se a caminho tal como o Povo do Antigo Testamento.
Depois da descoberta do Criador atra­vés da obra criada – muito em especial da Humanidade, criada à imagem e se­melhança de Deus –, segue-se o acolhi­mento da relação de Deus com os Ho­mens.
Esta relação tem em Deus a sua origem, e materializa-se no firmamento de uma aliança.
A Aliança que Deus pro­põe aos homens é, num certo sentido, desigual, na medida em que, não obs­tante a eventual infidelidade do Homem, Deus não deixa de ser fiel à sua Aliança.
Deus oferece à Humanidade a possibi­lidade de viver em paz e felicidade, com uma descendência incontável, na Terra Prometida.
Essa é a grande promessa do Antigo Testamento.

SIMBOLOGIA DA IIª SECÇÃO

A simbologia ajuda-nos a perceber a identidade dos Exploradores. O imaginário da segunda secção gira todo à volta do Explorador, aquele que parte à descoberta do desconhecido.
Como símbolos, a secção tem a Flor-de-Lis, a Vara, o Chapéu, o Cantil e a Estrela.